Coluna Politizando – 20/01/2020 – Candidatos identificados com as ideias Bolsonaristas podem perder espaço nas eleições de 2020 no Nordeste

By Sanchilis Oliveira - 07:00

André Ferreira, Marco Aurélio, Daniel Coelho e Mendonça Filho. Fotos reprodução

O Nordeste é a região brasileira com mais resistência a forma do presidente Jair Bolsonaro fazer política, ulta conservador e de espectro político de extrema-direita, o mandatário afasta de seu rol de eleitores e simpatizantes os nordestinos, históricos eleitores da esquerda em sua maioria, a prova deste fato foi o resultado do segundo turno das eleições gerais de 2018. Onde o candidato Fernando Haddad do Partido dos Trabalhadores obteve a vitória em todos os estados do Nordeste. 

Nas cidades do interior dos estados nordestinos a imagem do presidente é ainda mais rejeitada, e com isso os políticos que se identificam com a ideologia governista, como a reforma da previdência, as privatizações e o neoliberalismo, em detrimento das políticas sociais, deverá render derrotas aos que seguem essa linha de pensamento político. 

Em Pernambuco onde a esquerda governa a décadas, será ainda mais intensa essa condição para que o leitor decida seu voto. Governado pelo PSB o estado derrotou os projetos ligados a direita nas quatro últimas eleições para o governo do estado, duas com o ex-governador Eduardo Campos , e duas com o atual governador Paulo Câmara, além da prefeitura da capital que é governada por políticos de esquerda a quase 20 anos entre PT e PSB. 

O cenário que se desenha para as eleições de outubro na capital é um possível segundo turno entre o deputado federal João Campos do PSB, e a deputada federal Marília Arraes do PT, que além de serem militantes e figuras da esquerda, são primos. Políticos como Mendonça Filho, Daniel Coelho, Marco Aurélio e André Ferreira que pretendem disputar as eleições para a prefeitura da capital, terão que tomar muito cuidado no tom adotado na campanha e na linha que seguirá o discurso na corrida municipal. 

Nas cidades do interior de Pernambuco o risco é ainda maior para os políticos que desejem chegar as câmaras municipais ou as prefeituras locais, onde a influência do presidente Lula ainda é muito forte, lembrado pelas políticas públicas adotadas nas gestões petistas no nordeste, e a ampliação da oferta de empregos, projetos sociais como, Minha Casa Minha Vida, Prouni, SISU, FIES, Escola para Todos, Luz para Todos, Transposição do Rio São Francisco, Duplicação da BR-101, Refinaria Abreu e Lima, e Estaleiro Atlântico Sul. 

A força da esquerda e dos ideais ligados a esse espectro, deverá se acentuar no nordeste com o resultado das eleições municipais deste ano, acirrando ainda mais a polarização entre Petistas e Bolsonaristas, o centro poderá tirar proveito desta briga nesta eleição, a questão maior é qual a linguagem adotada para atrair os eleitores que não desejam fortalecer essa polarização. 

Uma coisa é certa, cada dia mais acentuada a disputa entre esquerda e direita, deverá refletir nas disputas municipais, onde as imagens de Lula e Bolsonaro com certeza serão usadas para a construção e desconstrução de candidaturas país afora. 

Volta do Ministério da Cultura – A mudança na pasta após o ex-secretário Roberto Alvim citar trechos da fala de um ministro Nazista, trouxe a tona o que há de ideológico no modelo de cultura proposto pelo governo Bolsonaro. Alvim foi exonerado apenas por ter exagerado na demonstração do que o governo está a serviço, tornando insustentável sua permanência após a rejeição por parte da opinião pública, intelectuais e figuras destacadas no cenário nacional. Convidada para ocupar a pasta, Regina Duarte terá uma conversa direta com o presidente Jair Bolsonaro para decidir se assume o comando da cultura. Por sua vez para ter a atriz no seu governo o presidente cogita a recriação do Ministério. 

Lula Cabral – O prefeito do Cabo de santo Agostinho vem realizando diversas inaugurações e botando a cara no sol como diz o ditado popular. Apesar do grande desgaste político que atravessa o gestor após o escândalo dos 92 milhões. Ele tem corrido atrás do prejuízo em busca do quarto mandato como prefeito. 

Ribeirão – A grande aposta da oposição na disputa pela prefeitura contra o prefeito Marcello Maranhão (PSB), deverá ser mesmo a ex-primeira dama Karina Paiva, com o apoio do deputado estadual Clóvis Paiva (PP) principal adversário do atual gestor. A corrida pela cadeira de maior mandatário da cidade, deverá render a Ribeirão uma das eleições mais disputadas das últimas décadas. 

Ipojuca – Aliado do governo do estado, o ex-prefeito Carlos Santana está de malas prontas para o PSB, partido que deverá concorrer a prefeitura em outubro. Principal adversário da prefeita petebista Célia Sales, conta também com o apoio do governador Paulo Câmara. O PSB tem Ipojuca na rota das cidades almejadas, visando a junção de forças para a sucessão do governo estadual nas eleições de 2022. 

PDT - É dada como certa a candidatura do deputado federal Túlio Gadelha na capital pernambucana, o parlamentar conta com o apoio do ex-ministro Ciro Gomes, além de ser bem visto pelo presidente nacional do partido, Carlos Lupi. Eleito para o primeiro mandato eletivo, Túlio deverá ser peça fundamental na corrida pela prefeitura do Recife. 

Jaboatão – A Deputada Estadual Delegada Gleide Ângelo, parece ser o nome que mais anima parte da oposição e os eleitores que rejeitam ou reprovam a gestão do prefeito Anderson Ferreira (PL). Sem definição se disputará a prefeitura a parlamentar segue aquele velho ditado da política, quem tem prazo não tem pressa. 

Pergunta que não quer calar – Quem será o adversário principal do prefeito Anderson Ferreira na disputa pela prefeitura de Jaboatão dos Guararapes?

  • Share:

You Might Also Like

0 comentários

Faça seu comentário aqui!