Vereadores terão dificuldades em renovar seus mandatos em 2020

By Sanchilis Oliveira - 08:38

Com o fim das coligações os vereadores se encontra em uma situação política complicada

Presidente da Câmara Municipal de Escada, vereador Elias Ribeiro do Solidariedade. Foto: divulgação

Com o fim das coligações os parlamentares das casas legislativas municipais terão muitos problemas para renovar seus mandatos, em Escada treze vereadores vivem essa questão, pois terão pela frente o grande desafio de formarem seus grupos para alcançarem o número necessários de votos para atingir o cociente eleitoral.

Isso porque antes a maioria dos vereadores, ficavam só em seus partidos e  nas convenções realizavam coligações com partidos que tinha a chapa completa, para as eleições de 2020 essa regra deixa de existir, e não serão permitidas coligações, cada partido terá que cumprir sozinhos o cociente eleitoral que em Escada gira entorno de 3 mil votos. 

Vereadores como o presidente da Câmara Municipal, Elias Ribeiro (SD), Rogério (PSD), Dêda Móveis (PDT), Eduardo do Arretado (PP), Antonio Rufino Binho (PTB), Karoly (PSB), e Marcos Santiago (PMN), que tiveram mais de de mil votos, estão com suas vidas complicadas, a não ser que seus partidos consigam formar uma chapa com 20 candidatos que cumpram o cociente de 3 mil votos para assim eleger um parlamentar. Outra possibilidade para salvar o mandato de alguns é percebida, a junção de pelo mesmos cinco ou seis vereadores em um partido, cada um atingido mais de mil votos, poderá assim eleger de três vereadores. Esse fato seria inédito na história das eleições proporcionais em Escada, nos últimos 20 anos não se tem registro de um mesmo partido ocupar três ou mais cadeiras na Câmara Municipal. Apenas em 1996 o PMDB elegeu de uma só vez seis vereadores, sendo eles Sônia Guimarães, Antonio Guedes, Zé Lito, Antonio Rufino, Geraldão e Rubens de Timboassú, esse fato nunca mais se repetiu nas eleições de Escada.

Vereadores eleitos nas eleições municipais de 2012. Foto: reprodução

Por outro lado, partidos que não tem vereadores de mandato estão conseguindo atrair candidatos com possibilidade de vitória, essas siglas tendem a eleger o maior número de vereadores nas eleições de 2020. Outra soma nesta questão é a definição das candidaturas a prefeitura de Escada, que deverão ajudar na soma política, na conjuntura, e na arrumação dos partidos políticos para a disputa proporcional.

Uma renovação entorno de setenta porcento no pleito do ano que vem, cerca de oito ou nove novos vereadores, deverão ser eleitos para a legislatura que se inicia em janeiro de 2021.

  • Share:

You Might Also Like

0 comentários

Faça seu comentário aqui!