Por dificuldade de obter votos necessários para aprovar a previdência, governo posterga votação

By Sanchilis Oliveira - 20:16

Projeto de regulamentação da prática da vaquejada no Brasil, é usado como pretexto para ganhar mais tempo e negociar votos para aprovar texto da previdência.

Plenário da Câmara dos Deputados. Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados
Desde o início da tarde desta terça-feira (09/07), que é esperada a votação do projeto de reforma da previdência, o texto está na ordem do dia, mas por ajustes na articulação para obtenção dos votos necessários, um projeto de lei que regulamenta a prática da vaquejada no Brasil, foi colocado antes da votação da previdência, para ganhar tempo na articulação do governo para aprovação da matéria.

Vários deputados usaram o microfone da Câmara para reclamar da demora em colocar o texto em votação, várias acusações e alfinetadas de que o governo não tem votos suficientes foram disparados por alguns parlamentares de oposição a proposta, além de reclamações de deputados favoráveis a reforma, como o caso de Daniel Coelho (Cidadania-PE), que afirmou que não há prioridade em votar o que de fato importa para o país.

"Nossa bancada esta no plenário a espera da votação do projeto e reforma da previdência, matéria de grande importância para o país, e a mais de quatro horas estamos aqui numa obstrução improdutiva, com uma matéria que sem nenhuma dúvida não é a prioridade da nossa nação" reclamou Daniel.

A sessão deliberativa foi convocada em caráter extraordinário pela mesa diretora da Câmara dos Deputado, e os parlamentares foram chamados as pressas para votar a reforma da previdência, muito se queixaram de ter se esforçado para estar presente e o texto da previdência não ter sido votado ainda.

Acusações de compra de votos para a aprovação do texto da reforma foram disparadas a todo tempo por legisladores da oposição, "A Folha de São Paulo divulgou na semana passada que o governo Bolsonaro vai comprar deputados para votar a reforma da previdência, e alguns deputados se embraveceram, o governo compra os deputados, descrimina os municípios, isso que o governo esta fazendo é uma vergonha com o dinheiro público" disparou o deputado Marcon (PT-RS).

O PSOL entrou com um mandado de segurança no STF, para impedir que as emendas parlamentares sejam usadas como moeda de compra, para o governo aprovar a reforma da previdência, a afirmação foi feita no plenário pelo deputado Ivan valente (PSOL-SP).

De acordo com parlamentares governista, a expectativa é que o projeto seja votado ainda nesta terça-feira.

ACOMPANHE AO VIVO:


  • Share:

You Might Also Like

0 comentários

Faça seu comentário aqui!