Desunidos, oposicionistas estudam táticas já visando enfrentamento com Humberto

By Sanchilis Oliveira - 03:21

Blog de Jamildo

Raul Jungmann classifica Humberto Costa como "fraco"

Daniel Coelho espera enfrentar petista no segundo turno

Oposicionistas Raul Jungmann (PPS) e Daniel Coelho (PSDB) têm opiniões diferentes quanto ao cenário político recifense após a substituição de João da Costa por Humberto Costa, na chapa petista, e sobre os oposicionistas, que não devem mesmo se unir.
Contundente, o pré-candidato do PPS, Raul Jungmann, vê o senador Humberto Costa como um candidato mais fraco que o atual prefeito João da Costa, e vê candidatura do senador como refém do prefeito.
"Humberto é mais fraco, porque é refém, dependente de João da Costa. Humberto foi sócio-diretor da atual gestão. Participou ativamente dela. Se João da Costa quiser abrir a caixa de ferramentas... o "biônico" pode ter sua candidatura sequestrada e nem o Capitão Nascimento do BOPE salva Humberto dessa. O prefeito é quem vai decidir quem é Humberto nessa eleição."
O tucano Daniel Coelho não tem a mesma visão da situação. Para ele, nenhum dos dois é mais fraco que o outro. Daniel afirma ainda que o PT certamente estará no segundo turno. "Ambos têm fragilidades. Mas o PT é forte, competitivo e deve estar no seundo turno. É difícil competir com quem tem o poder econômico, a máquina pública a seu favor. Eles já se utilizaram da máquina durante a prévia, então nas eleições devem usar ainda mais. Estaremos de olho."
Questionado sobre a força de Humberto com a união da Frente Popular em sua candidatura, Raul Jungmann disse não acreditar na união e reafirmou ver nome de Humberto como um nome pouco competitivo para o pleito municipal.
"Duvido que os partidoas da Frente Popular se unam. Se o fizer, será uma falsa união. Armando quer se lançar governador em 2014. Uma união hoje pode extinguir a candidatura de Armando para as próximas eleições. E Humberto... Ele é um candidato sem identidade com o Recife. Tem um histórico de derrotas. É um tigre de papel."
Daniel Coelho não vê com tanto desdém a candidatura de Humberto, mas vê situação do PT no Recife como complicada para ser explicada. "No debate vai ser difícil ele [Humberto] explicar isso que aconteceu no Recife. Até porque ele indicou muitos nomes, muitos secretários da Prefeitura. Ele governou junto".
Desunidos - Se de um lado o Partido dos Trabalhadores, há 12 anos no poder, se fraturou, a oposição segue desunida. Nos últimos meses os pré-candidatos tiveram encontros, diálogos e até atos conjuntos, mas eles não devem mesmo se unir.
Jungmann afirma ter feito convites para diálogos, tendo até um último encontro, onde a falta de entendimento em torno de uma unidade das (quatro) partes foi consolidada. "Fiz um convite para reestabelecer a união da oposição, mas nenhum deles quis. A oposição está tendo mais sorte que juízo. Não há juízo. O que tem nos fortalecido mesmo é o descaso, o abandono do Recife".
Daniel confirma que os principais candidatos da oposição no Recife, Mendonça Filho (DEM), Raul Henry (PMDB), Raul Jungmann (PPS) e o próprio Daniel (PSDB); não conseguiram consolidar uniões e todos serão candidatos à Prefeitura. "Os outros três serão candidatos. Não estamos mais em tempo de buscar articulações políticas. Estamos buscando articulações para discutir Recife".
O tucano, diferente de Jungmann, vê com bons olhos o lançamento de quatro nomes. "O alto número de candidaturas é porque não existem favoritos. Todas têm viabilidade. Eu teria medo é se nós [oposicionistas] lançássemos apenas dois candidatos."
Alianças - Confiante numa boa campanha, Raul Jungmann comemora a aliança com o PMN. "Somos os únicos da oposição que conseguimos costurar uma aliança". Já o PSDB de Daniel Coelho ainda está em diálogo com alguns partidos.
"Podem surgir alianças. Alguns partidos estão dialogando conosco. Não estamos divulgando porque um outra candidatura pode, com mais poderio, pode atrapalhar a formação da aliança. Mas o PSDB está preparado, com ou sem aliança."
O tucano reforça ainda que está torcendo para que as candidaturas adversárias - desde que oposicionistas - estejam mais encorpadas até outubro. "Espero que os outros se fortaleçam para que consigamos garantir o segundo turno. E nossa [do PSDB] postulação é a melhor para ir para o segundo turno."
A reportágem do Blog tentou falar com Raul Henry (PMDB) e Mendonça Filho (DEM). O primeiro, estava ocupado numa sessão de fotos para a campanha, enquanto a assessoria do democrata não atendeu às ligações.

  • Share:

You Might Also Like

0 comentários

Faça seu comentário aqui!